Que punk… Um dos pais da música independente, Pete Shelley, do Buzzcocks, nos deixa aos 63 anos

>>

071218_shelley2

Sujeito que simplesmente ajudou a moldar o punk rock inglês e a música independente que aprendemos a amar, Pete Shelley nos deixou na noite desta quinta-feira, possivelmente vítima de um ataque cardíaco fulminante.

O líder do Buzzcocks, um jovem de 63 anos, vivia na Estônia e até dia desses estava em um palco. O último show dele com sua banda foi no fim de agosto, em Belfast.
Shelley foi responsável direto por botar o Buzzcocks na tríade do punk inglês, lá nos anos 70, junto com Sex Pistols e The Clash.

Esperto, botou sua banda para tocar pela primeira vez na vida como atração de abertura dos Pistols, em sua terra natal Manchester, em 1976. “Eu e Howard Devoto já havíamos formado a banda, mas nunca tocado ao vivo. Fomos ao show dos Pistols em Londres e percebemos que eles já tinham um grande público que os seguia. Então resolvemos agendar um show dos Pistols em Manchester, para aproveitar esse público que eles arrastavam para fazer nossa estreia no palco”, contou em entrevista à Folha de S. Paulo, em 2001, em uma de suas vindas ao Brasil. “Podemos falar que o show dos Pistols e Buzzcocks juntos foi a primeira grande noite punk de Manchester”, completou.

No ano seguinte, o grupo sem saber acabou fazendo história ao lançar o EP que é considerado o pontapé inicial da música independente. “Spiral Scratch” foi todo bancado pela banda, a partir de 500 libras emprestadas pelo pai de Shelley. A produção foi assinada por Martin Hannett, que mais tarde se tornaria o produtor do Joy Division.

O Buzzcocks surgiu como um furacão junto com a leva do punk na segunda metade da década de 70. Durou apenas cinco anos e lançou três discos cheios naquela época, o suficiente para oferecer ao mundo verdadeiros hinos como “Ever Fallen in Love” e “Everybody’s Happy Nowadays”.

A banda voltou a se reunir apenas em 1989 e desde então vinha tocando junta. O último disco deles é “The Way”, lançado há quatro anos.

Grupo queridinho do eterno DJ/radialista John Peel, o Buzzcocks além de fazer sua estreia em rolê com os Pistols e de apadrinhar a cena independente, foi a última banda a excursionar com o Nirvana, em 1994, e ainda influencia gente atual como a molecada do Slaves. E assim continuará sendo.

Pete Shelley já está fazendo falta.

*** Registro do último show em Belfast, em 25 de agosto deste ano.

>>

  • Jair Santos

    Uma das bandas mais subestimadas do rock. A inventividade do Buzzcocks e difícil de se encontrar em outras por aí.

  • Aldair Hepp

    Só fiquei sabendo por aqui. Que pena. Estão na minha playlist preferida até hoje. Felizmente na provinciana Florianópolis dos anos 80 tinha um excelente programa de rock o Sincronia Total, dos queridos Pena e Zeca que tocavam essas preciosidades