Eita! Além do disco novo este ano, The Cure arma quatro shows na Austrália para comemorar os 30 anos do clássico “Disintegration”

>>

260618_robertsmith_slider

O ano de 2019 tem tudo para ser especial para o seminal The Cure. Além de um aguardadíssimo disco de inéditas e um rolê por cerca de 20 festivais pela Europa no meio do ano, a banda de Robert Smith está preparando uma celebração acerca de um de seus grandes álbuns.

O discaço “Disintegration”, oitavo de estúdio deles, será tema principal de uma série de shows na pomposa Opera House de Sydney, na Austrália, nos dias 24, 25, 27 e 28 de maio, talvez o lugar mais bonito de show no planeta.

O maravilhoso álbum, que completa 30 anos agora em 2019, será tocado na íntegra. Os shows contarão, também, com performances de sons mais raros que o grupo não costuma tocar ao vivo.

Indicado ao Hall da Fama do Rock neste ano, o Cure prepara para algum momento do ano o lançamento de seu novo disco. Ano passado, em entrevista à BBC 6 Music, Roberth Smith confirmou que havia alugado um estúdio porque havia recuperado a vibe de escrever novas canções. O novo álbum será o primeiro deles desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008.

E, SIM, o Brasil tem tentado desde o ano passado se encaixar na agenda “in progress” da banda. Uma hora deve rolar um anúncio concretizado disso por aqui.

>>

  • Leocádia Joana Garibaldi Pinto

    Meus amados da adolescência…