The Streets lança mixtape que remói o passado, faz uso do presente e, óbvio, aponta o futuro. E, no futuro, ninguém vai sair vivo desta vida

>>

* Sexta-feira passada foi finalmente lançada na Inglaterra a nova mixtape de um sujeito rapper chamado Mike Skinner, que vem a ser conhecido pelo codinome The Streets e é um dos mais importantes caras da música inglesa desde, sei lá, 2000? E esse lançamento é mesmo muito significativo. Seja por qualquer ângulo que se olhe ou qual for o resultado sonoro disso.

“None of Us Are Getting Out of This Life Alive” é o nome da mixtape, que não tá catalogada na discografia parada do Streets desde 2011. Porque é isso mesmo: uma mixtape. 12 faixas comandadas por Skinner mas com colaborações preciosas de gente grande para nós como Tame Impala e Idles, mas também um monte de artista britânico da nova geração, principalmente a de MCs, que pode apostar com o dedo dele vão ser bem comentados num futuro próximo. Porque isso é The Streets.

Mike Skinner influenciou, com pelo menos seus três primeiros álbuns lá nos anos 2000, coisas e bandas como Arctic Monkeys e boa parte do grime produzido hoje na Inglaterra. Do indie ao eletrônico ao hip hop. Das batidas secas ao jeito de cantar (falar) à composição lírica do cotidiano inglês em canções.

Nas faixas, há o velho Skinner que a gente enxerga hoje e o futuro do rap inglês que a gente ainda não está enxergando. The Streets é assim. Deliciosa, cheia dos jeitos de fazer rap, de causar estranhezas, de pender ao indie e ao eletrônico sem cair em nenhum dos dois. E a voz charmosa de Skinner e de seus colaboradores escolhidos a dedo enfeitando tudo.

Chega até a ser irregular no que é muito bom. Como ousas, The Streets?

Para completar tudo, The Streets anunciou recentemente uma turnê inglesa de drive-ins para agora, começo de agosto. Hummmmmmm. Algumas datas sold-out, em lugares com capacidade entre 300 e 600 carros. No mundo “normal”, The Streets assegurou sua participação no gigantesco festival belga Rock Werchter, que deve acontecer em julho de 2021. Repare no “deve”. Repare no The Streets.

>>